O tempo comum vive inteiramente, semanalmente, da Páscoa,
e a esperança (que dá sentido e direcção aos dias que somam o ano) 
alimenta as luzes das vigílias do tempo
com a paz do solstício da Graça,
a glória do Sol-da-Justiça que nos soleniza
as horas todas e os dias todos
que na ultima hora e no ultimo dia têm a sua justificação.
Solenidade da verdade no dia a dia!

Leonel de Oliveira, Actos e Actas (Voz Portucalense 2001)